Sonolência diurna e trabalho por turnos

O sono e o trabalho por turnos

Uma das principais razões para a alteração do ritmo do sono é o facto de algumas pessoas terem que trabalhar por turnos, muitas vezes no período nocturno. Isso acontece com médicos, enfermeiros, policias, funcionários das limpezas, etc.

Numa pessoa “normal” este factor é suficiente para levar a cansaço, envelhecimento precoce, aumento do risco de problemas psicológicos etc, mas numa pessoa que sofre de Apneia do Sono esse efeito ainda é pior.

Trata-se da acumulação de 2 factores de risco importantes para a sonolência durante o dia e que agravam a qualidade de vida e a saúde dessas pessoas. O risco de acidentes de trabalho ou de viação é também maior.

Tomando por exemplo um estudo que investigou o efeito do trabalho por turno em policias brasileiros, percebeu-se que os que trabalhavam em turnos nocturnos apresentaram pior qualidade do sono, mais insatisfação com o trabalho, níveis baixos de alerta, mais roncopatia, além de pior performance na condução de veículos.

É recomendável que as pessoas que sofrem desta doença não trabalhem em turnos nocturnos, uma vez que para além de todo o impacto que isso tem no sono e no ritmo biológico, pode levar a menor uso do ventilador. Este uso incorreto impede a correção das obstruções.

Por exemplo, um camionista, deve levar o CPAP sempre consigo e não pode conduzir durante a noite, para que cumpra o tratamento enquanto dorme, evitando que tenha sonolência durante o dia quando estiver a conduzir.

 

O que diz a lei

A legislação portuguesa refere que “a entidade empregadora pública deve assegurar, sempre que possível, a mudança de local de trabalho do trabalhador nocturno que sofra de problemas de saúde relacionados com o facto de executar trabalho nocturno, para um trabalho diurno que esteja apto a desempenhar.” (Decreto Lei 59/2008 de 11 de Setembro de 2008, artigo 156)

Infelizmente nem sempre é possível respeitar esta orientação, mas se é o seu caso informe-se e tente melhorar o seu sono!