Síndrome de Apneia Obstrutiva do Sono: O que é, como se diagnostica e como se trata

A Síndrome de Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS) é caracterizada por episódios recorrentes de cessação total (apneias) ou parcial (hipopneias) do fluxo aéreo oronasal – ou seja, paragens involuntárias na respiração durante o sono – provocada por um colapso (obstrução) da via aérea superior durante o sono.

Cada pausa de respiração pode durar entre 10 segundos e mais de um minuto e é acompanhada por uma diminuição de oxigénio que chega aos pulmões. Os eventos podem ocorrer 5 a 30 vezes ou por cada hora de sono, o que coloca uma pressão sobre o sistema cardiovascular que pode causar uma série de graves problemas de saúde.

Segundo a Direção-Geral da Saúde, estima-se que a prevalência de SAOS em homens adultos, definida como a ocorrência de episódios de hipopneia e apneia frequente e hipersonolência diurna, varie entre 1 e 5%. Sendo que, de acordo com diferentes estudos, essa prevalência pode aumentar até aos 28% se se considerar exclusivamente os episódios de apneia e hipopneia, sem a hipersonolência diurna, sendo que cerca de metade apresenta um quadro moderado a grave.

A grande maioria dos doentes com SAOS apresenta excesso de peso ou obesidade. A acumulação de gordura na zona abdominal, limita a atividade do músculo diafragma e a acumulação de gordura no pescoço pode contribuir para o estreitamento da via aérea superior.

A SAOS provoca alterações neurocognitivas, nomeadamente perturbações do humor, concentração e memória, bem como hipersonolência diurna, sintomas que condicionam a qualidade de vida pessoal, social e laboral das pessoas que dela sofrem.

Apesar de ser uma doença crónica, o seu diagnóstico e o seu tratamento são simples e indolores. Para se fazer um diagnóstico de SAOS é necessário fazer um Estudo Poligráfico do Sono (EPS), que consiste no registo simultâneo de vários parâmetros durante o sono por um dispositivo apropriado. Este estudo pode ser efetuado no Laboratório do Sono, onde o paciente dorme uma noite, sendo avaliado o maior número de parâmetros para o diagnóstico das doenças relacionadas com o sono. O estudo também pode ser efetuado no domicílio, para estudar a apneia do sono e o ressonar, através de um dispositivo portátil. Não obstante, a forma de diagnóstico padrão consiste no estudo em laboratório.

O tratamento mais eficaz da SAOS é o suporte ventilatório noturno com CPAP (pressão positiva contínua da via aérea), que funciona através de uma máscara que se aplica no nariz durante a noite, o CPAP fornece ar a uma pressão contínua, impedindo que as vias respiratórias se fechem, impedindo assim a ocorrência das paragens da respiração. O CPAP permite que a pessoa respire normalmente durante a noite, permitindo um sono reparador, contribuindo para o desaparecimento da hipersonolência diurna e diminuindo muito o risco de doenças cardiovasculares.

Artigo da autoria de RespirarMelhor.pt