Participe em estudo português sobre o papel da máscara no tratamento da Apneia do Sono

A Síndrome de apneia obstrutiva do sono (SAOS) é uma perturbação respiratória, que se caracteriza pela obstrução à passagem do fluxo respiratório por colapso das vias aéreas superiores durante o sono. Consequentemente o seu sono é afectado, levando a que se sinta mais cansado e sonolento durante o dia, comprometendo as suas capacidades cognitivas e o seu desempenho nas tarefas diárias, assim como podendo levar ao desenvolvimento de distúrbios cardiovasculares, respiratórios e psicológicos.

Se tem SAOS, pode ter-lhe sido prescrito um aparelho para utilizar quando vai dormir, que induz uma pressão positiva contínua nas vias aéreas, ajudando a impedir as apneias/hipopneias. A conexão entre si e o aparelho, chamada de interface, inclui uma máscara que pode ser nasal, facial ou por almofadas nasais, dependendo das suas preferências e resposta ao tratamento.

Como em qualquer outra doença em que lhe é prescrito um medicamento, a adesão ao tratamento é parte essencial para o sucesso do mesmo. A eficácia deste tratamento também está dependente da sua adesão ao mesmo. O ajuste, o tamanho e o conforto são factores essenciais para que se sinta bem com a sua máscara e possa cumprir o tratamento diariamente, o maior número de horas possível.

Deve reportar sempre ao seu Médico sintomas como fugas, dificuldade em adormecer, boca seca, entre outras que podem prejudicar o cumprimento da terapêutica que lhe foi prescrita. Só assim o poderão ajudar e procurar alternativas, como outras máscaras ou mesmo pequenos ajustes nos parâmetros do aparelho.

O APNEIADOSONO.PT dá a conhecer um estudo realizado por médicos portugueses, liderado pela Dra. Bárbara Ramos, do Serviço de Pneumologia do CHUC, que pretende avaliar a importância da máscara no tratamento eficaz da Apneia do Sono. O inquérito online demora cerca de 1-2 minutos a ser preenchido. O objectivo é avaliar o seu conforto com este tratamento, contribuído para a nossa procura constate em melhorar a qualidade de vida dos nossos doentes.

Os autores agradecem desde já a sua colaboração neste projecto! LINK